FANDOM


Para orientação sobre as citações dos livros de GRRM, ver Convenções desta wiki

Will, da Patrulha da Noite participou com Gared na missão na Floresta Assombrada, liderada por Sor Waymar Royce que abre As Crônicas de Gelo e Fogo no Prólogo de A Guerra dos Tronos .

AparênciaEditar

Não foram encontradas descrições da aparência de Will, exceto que ele deveria ser jovem.

BiografiaEditar

Will era um jovem que praticava caça ilegal e que fora pego esfolando um gamo dos bosques de Mallister. Escolhera se alistar na Patrulha da Noite para evitar ter uma de suas mãos cortadas pelo crime cometido[1].

Sua habilidade de se movimentar silenciosamente pela floresta o fez o principal escolhido para as patrulhas além da Muralha, a ponto de ser dito a seu respeito que, apesar de estar servindo como patrulheiro por apenas quatro anos, era um "veterano de cem patrulhas"[2].

Foi provavelmente por sua habilidade como rastreador que Sor Waymar o enviou como batedor ao acampamento dos selvagens que haviam ido procurar. Will chegou até eles e os encontrou sem vida. Fez um relatório do fato, inclusive indicando quantos eram, homens e mulheres, e seus armamentos. Atribui suas mortes ao frio extremo, pois não viu sinais de sangue no local onde estavam caídos. Mas Seu comandante o fez ver que o frio intenso, aquele que mata os seres desprotegidos, ainda não havia chegado. Excitado pela curiosidade, Royce quis se certificar de que o bando estava mesmo morto e se estava, qual teria sido a causa da morte de seus integrantes, precipitando os acontecimentos que levaram ao fim abrupto da missão.

Uma teoria sobre a identidade do misterioso Mãos-Frias[3] supõe que este seria Will[4]

FraseEditar

“É difícil aceitar ordens de um homem de quem nos rimos com um copo na mão.”[5]

Os últimos momentosEditar

Estão registrados no Prólogo de A Guerra dos Tronos.

Referências


  1. I-Br: Prólogo-p. 8
  2. I-Br: Prólogo-p. 8
  3. A Dança dos Dragões
  4. Coldhands Theories
  5. I-Br: Prólogo; p.8.